Hiperplasia benigna da próstata atinge 50% dos homens após os 50 anos

Problema está associado ao envelhecimento

A hiperplasia benigna da próstata (HPB) é o tumor mais frequente no homem. Estima-se que cerca de 50% dos homens apresentam algum grau da doença após os 50 anos e que mais de 30% necessitarão de tratamento durante a vida. A HPB é caracterizada pelo crescimento benigno da glândula (localizada abaixo da bexiga) a partir dos 50 anos.

Entre os sintomas estão: dificuldade de urinar, jato urinário fraco, sensação de que a bexiga não foi completamente esvaziada, aumento do número de idas ao banheiro durante a noite e vontade incontrolável de urinar.

Em alguns casos, a HPB pode acarretar presença de sangue na urina, infecção urinária de repetição, cálculos na bexiga, retenção urinária e insuficiência renal.

O diagnóstico é realizado pelo urologista por meio do histórico de sintomas e do exame de toque. No entanto, alguns exames complementares são ferramentas valiosas para o acompanhamento adequado da doença e o diagnóstico de possíveis complicações, como: PSA (realizado por coleta de sangue), urina, ultrassonografia das vias urinárias e urofluxometria (mede a força do jato urinário e o tempo de esvaziamento da bexiga).

Tratamento e prevenção

O tratamento inicial consiste em vigilância com a realização de exames periódicos. Atualmente existem também remédios que aliviam os sintomas e evitam o crescimento da próstata. Nos casos que não respondem a tratamento medicamentoso ou com sintomas mais graves, é necessário tratamento cirúrgico, que é feito por técnicas minimamente invasivas.

Acredita-se que um estilo de vida saudável diminui o risco de HPB. Deve-se evitar a obesidade, o sedentarismo e os alimentos gordurosos e ricos em calorias. A chamada dieta mediterrânea, que privilegia verduras, frutas, tomate e peixes, associada à prática de exercícios físicos, seria uma boa sugestão para evitar a HPB.

Dr. Roni Fernandes – São Paulo, SP

Dr. Rogério Simonetti – São Paulo, SP

 

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.