Presidente da SBU elenca prioridades da gestão

Assumir a presidência da Sociedade Brasileira de Urologia é uma enorme responsabilidade, agradeço aos colegas que me confiaram essa missão. Nós, integrantes da diretoria da sede, do conselho fiscal, das diretorias das seccionais, dos departamentos e comissões, com o apoio e a integração de todos os urologistas brasileiros, queremos e vamos fazer um ótimo trabalho, sucedendo equipes que desempenharam tão bem essa missão.

Desde o século XII as associações de ofício controlam a formação do aprendiz, preservam a técnica e estimulam a qualidade do profissional. Na medicina fazemos isso também, e desde o século V antes de Cristo, preservando nosso milenar dever moral de respeitar a vida e a dignidade do ser humano. Mas a medicina é nossa profissão, e dela tiramos o nosso sustento, e temos que lembrar muito bem disso para podermos exigir o respeito que nos é devido.

Temos a obrigação de zelar pela urologia brasileira, isso está em nosso estatuto. Cuidamos da qualidade dos programas de residência médica, aplicamos provas de suficiência para a outorga do título de especialista, criamos conteúdos em educação continuada em diversos formatos, cursos on-line, cursos presenciais, estágios de aperfeiçoamento ou de reciclagem no Brasil e no exterior e eventos científicos que poderão voltar a ser presenciais. Temos um congresso que é o terceiro maior da especialidade e uma revista científica (o IBJU) que vem paulatinamente aumentando seu fator de impacto. Divulgamos a relevância de nossa especialidade e a importância da atuação do urologista através das várias campanhas que fazemos para o público leigo. O novembro azul é a mais conhecida.

Agradecemos às indústrias farmacêuticas e de equipamentos que contribuem e dão suporte às nossas atividades.

Defendemos atuação do urologista balizando nossa capacitação. Em 2019 foi publicada pelo MEC nossa matriz de competência no Diário Oficial, citando inclusive a cirurgia laparoscópica e a plataforma robótica. Vamos qualificar e certificar os urologistas em qualquer tecnologia, temos o direito, a capacidade e a obrigação de fazê-lo. E será feito.

Queremos trabalhar juntos e contribuir para os projetos e ações do Ministério da Saúde, do MEC, do CFM, da AMB, do IBDM e da Frente Parlamentar da medicina, sobretudo para defender a qualidade da assistência médica disponibilizada para nossa população. E sem qualquer viés político partidário. Partido, o nome já diz, é parte, e temos que ser o todo.

Em 1977 tínhamos 85 escolas médicas e hoje, segundo informações do CFM, são 342. Perdemos somente para a Índia e estamos à frente da China. Questionamos a qualidade dos formandos, principalmente aqueles oriundos das faculdades que não oferecem campos de estágio, hospitais de ensino e por vezes docentes em todas as especialidades. Nos preocupamos com possibilidade de revalidação em números superlativos de diplomas conquistados em universidades estrangeiras de qualidade duvidosa. Corremos o risco de nossa medicina ser desvalorizada e desqualificada. Não podemos permitir isso.

Queremos uma gestão participativa, com a presença das seccionais e atentos às demandas de todos. E com total transparência do controle financeiro. Na atual gestão fizemos reuniões com colegas e com empresas de diversas partes do país respeitando as recomendações das autoridades sanitárias, usando plataformas digitais, sem gerar riscos de contaminação e sem a necessidade de custear deslocamentos. Poupamos nosso tempo e diminuímos os gastos da SBU. Portanto as plataformas continuarão a ser usadas.

Mas é preciso ser grato, sempre, e agradeço a Deus, por tudo aquilo que já vivi e ainda viverei. Agradeço a meus pais pela educação e pelo exemplo de honestidade e integridade moral, ao Dr. Samuel Schmidt, que me apresentou a urologia na época do internato, e ao professor Sérgio Aguinaga, que me inspirou na carreira médica, docente e associativa. Por fim, e não menos importante, tenho que agradecer a todos meus colegas e amigos urologistas que me apoiaram e me incentivaram a ocupar esse cargo e saudar àqueles que estarão ao meu lado dirigindo nossa sociedade durante o próximo biênio.

Também quero desde já convidar a todos para que participem do XXXIX CBU, que ocorrerá na cidade de Salvador de 18 a 21 de novembro de 2023.

Meus colegas, como bom Inaciano, exercerei meu cargo inspirado por Padre Antônio Vieira: “para falar ao vento bastam palavras, para falar ao coração são necessárias obras”.

Dr. Alfredo Canalini
Presidente da SBU gestão 2022-2023

Comments are closed.