Toxina botulínica entra na CBHPM

Código é o primeiro passo para que procedimento seja incluído no Rol da ANS

Em meados de dezembro, por meio da Resolução Normativa nº 016/2014, a Associação Médica Brasileira (AMB) incluiu o uso da toxina botulínica para tratamento de hiperatividade vesical na CBHPM/TUSS (código 3.11.03.59-6). Isto significa que o procedimento agora é reconhecido, no entanto, ainda não é coberto pelos planos de saúde. Por isso, o próximo passo da diretoria da SBU é buscar sua inclusão no Rol da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Ter um código na CBHPM é um importante passo para indicar o procedimento para a tabela da ANS. Em 2013, a SBU trabalhou para entrada do esfíncter urinário no Rol da ANS e foi preciso criar um código na CBHPM para sua introdução. O código em questão é o 3.11.04.28-2 valor 9 C  1 auxiliar e porte anestésico 5. Com a existência do código, o procedimento entrou no Rol em 2014.

Veja aqui a Resolução Normativa da AMB.

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.