SBU, APU e CAU se unem no 1º Fórum Ibero-Americano sobre saúde do homem

Conhecer as diferentes realidades na atenção à saúde do homem e as políticas para o diagnóstico precoce para o câncer de próstata na América Latina e Portugal são dois dos principais objetivos do 1º Fórum Ibero-Americano que acontece nesta quarta-feira, dia 23, às 18h (horário de Brasília), no formato online.

O evento organizado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Associação Portuguesa de Urologia (APU) e Confederação Americana de Urologia (CAU) abordará a “Saúde do Homem no Novembro Azul”. A intenção é que o encontro seja anual, sempre em novembro.

“Temos dois objetivos na realização desse Fórum. Primeiro é fazer uma união de três associações científicas tão importantes. O segundo é ver em países de estruturas e culturas tão diferentes como os homens se comportam ao cuidar da sua própria saúde e quais as estruturas disponibilizadas em cada um desses países para termos uma visão global de como é cuidar da saúde masculina”, explica o presidente da SBU, Dr. Alfredo Canalini.

O encontro vai discutir aspectos confluentes entre os países. “Será possível elaborar soluções baseadas em experiências internacionais para melhorar a saúde do homem”, afirma o vice-presidente da SBU, Dr. Roni Fernandes.

Câncer de próstata, rim, pênis e bexiga

O evento vai debater a epidemiologia no câncer de próstata, rim, pênis e bexiga e apresentará o parecer da APU sobre um programa de rastreio populacional sobre o câncer de próstata. “Vai ser seguramente um momento interessante que nos permitirá apresentar a realidade em termos de saúde do homem dos dois lados do Atlântico”, avalia o presidente da APU, Dr. Miguel Ramos.

“Partilhamos missões e visões semelhantes para melhorar a educação médica contínua na região, em benefício da comunidade e dos doentes em risco de doenças do trato geniturinário”, complementa o presidente da CAU, Alejandro Rodriguez.

O Dr. Hamilton Zampolli, membro da SBU e atual tesoureiro da CAU, vai apresentar dados multicêntricos levantados pela CAU. “Vou falar sobre alguns dos trabalhos que publicamos, em que só foram possíveis graças à integração dos países membros da CAU, onde conseguimos evidenciar a epidemiologia do câncer de rim nos países latino-americanos, Portugal e Espanha, e que resultou diferente do que é a epidemiologia dos países nórdicos, que norteiam os nossos tratamentos”, diz. 

“Percebemos que quando unimos as nossas Sociedades para fazer estudos sérios, teremos um banco de dados mais sólido, mais forte, com maior número de pacientes, uma casuística muito mais robusta até do que a americana, e isso possivelmente deve demonstrar para a gente, como mostrou no câncer de rim, uma diferença importante na epidemiologia nos outros países, o que vai nortear os nossos tratamentos e os nossos pacientes, beneficiando, então, a saúde masculina”, complementa Dr. Zampolli.

Como participar?

Para participar é preciso se inscrever no link: https://forumiberoamericano.portaldaurologia.org.br/

Comments are closed.