Essa é uma situação bastante comum durante a adolescência, em que a excitação do momento é atrapalhada pelo nervosismo, bastante normal para quem está tendo as primeiras experiências sexuais.

Durante o período de excitação sexual, a acetilcolina – um hormônio que relaxa os corpos cavernosos e esponjoso para permitir a entrada de sangue no pênis e promover o enrijecimento dele – é liberada, enquanto o nervosismo exacerbado gera uma grande produção de adrenalina, que tem o efeito contrário ao da acetilcolina. A adrenalina promove a contração dos tecidos, não permitindo que o pênis fique ereto de uma maneira adequada ou até mesmo impedindo totalmente o enrijecimento peniano.

Desta maneira, o nervosismo, através da liberação da adrenalina, prejudica a ereção peniana.

Dica! Nestas situações, a dica é tentar relaxar o máximo possível para aproveitar o momento a dois! Com o passar do tempo e da experiência adquirida, o nervosismo irá naturalmente desaparecer.

Dr. Daniel Suslik Zylbersztejn, urologista TiSBU, especialista em Infertilidade Masculina e doutorado em Ciências pela UNIFESP

Referências:
Fonte: Bouer, J. O corpo dos garotos. 2006. São Paulo

Comments are closed.